O Santo de Goa: “Goyencho Saib”

* Dr.Ivo da Conceição Souza

Introdução: Desde a minha infância eu ouvi da devoção dos goeses ao São Francisco Xavier. Quando eu contava sete anos de idade, eu me lembro de ter beijado os pés de São Francisco, na Basílica do Bom Jesus em Velha Goa, com grande devoção. Todos os anos as pessoas se dirigem para a novena e para a festa de São Francisco. Tanto os alfabetizados como os analfabetos o admiram imenso. Pessoas de Goa e de estados vizinhos, sejam eles hindus, muçulmanos, parses ou cristãos vem prestar-lhe homenagem. Jovens e idosos têm devoção por ele. Embora fosse filho de seu tempo e de seu meio, São Francisco ainda continua a inspirar o nosso povo hoje. Ele é um «modelo de santidade” na medida em que ele seguiu o seu Mestre, Jesus de Nazaré e trabalhou para a sociedade da época de acordo com sua vocação e convicções. Estamos felizes por ter a sua festa anual. Ele continua a ser conhecido como “GOYNCHO SAIB”. São Francisco Xavier é o Patrono do Oriente. Ele era um apóstolo do Evangelho, um fundador de comunidades cristãs. Sua vida: Francisco de Jassu Xavier nasceu em 7 de abril de 1506, no castelo de Javier (Xavier), no Reino de Navarra (hoje uma província da Espanha), de uma família nobre. Seus pais eram Don Juan y Jassu ALONDO e Dona Maria de Azpilcueta y Aznarez de Sada. Na idade de 19, Francisco estudou línguas clássicas (latim e grego), Retórica e Poesia e Filosofia na Universidade de Paris, e estava hospedado no Colégio de Santa Bárbara, na Espanha. Obteve Licenciatura em Letras e Filosofia em 15 de março de 1530, e no mesmo ano, ele dissertou sobre Aristóteles nas proximidades do Colégio Dormans-Beauvais, e levou o título de Mestre. Como estudante, ele era conhecido como uma “ponte alta”. Mas ele era como um barco sem leme. Como ele próprio revelou ao seu hospedeiro em Mylapore, Frei Gaspar Coelho, maio-agosto 1545, ele estava em má companhia dos colegas, dados à “libertinagem”, mas absteve-se do contacto com as mulheres devido ao temor de “fedorentas úlceras “, que ele viu no mestre e alunos. Ele também foi cuidadoso nas questões de fé, ameaçada pelo luteranismo. Em 15 de agosto de 1534, na capela de S. Dinis, na encosta de Montmartre, em Paris, juntamente com Francisco Inácio de Loyola, Pedro Favre, Simão Rodrigues de Azevedo, Laynez James, Afonso Salmerón e Nicolau Bobadilla dedicou sua vida ao serviço de Cristo, com os votos de castidade, pobreza e obediência. Eles foram para Veneza e desejavam visitar a Terra Santa, mas não puderam fazê-lo. Francisco foi ordenado sacerdote em Roma em 24 de junho de 1537, e celebrou sua primeira Missa em Vicenza, juntamente com seus companheiros, excepto Inácio de Loyola, que ofereceu sua Missa no dia de Natal de 1538. Eles se colocaram à disposição do Santo Padre. Quando o rei de Portugal, D. João III, pediu a Paulo III que enviasse sacerdotes para a Índia, Francisco foi chamado a Roma. Ele foi enviado para Lisboa e de lá com a missão de Paulo III, foi nomeado o “Núncio Apostólico” de Indias. Em 7 de Abril de 1541, Francisco Xavier, embarcou em Lisboa para sua viagem a Goa, onde chegou em 6 de maio de 1542 pelo navio. Durante a viagem, ele era muito compassivo e pronto para ajudar. Depois de descer às margens do rio Mandovi, ele foi para o Convento de São Francisco na Velha Goa para saudar o Bispo de Goa, D. Frey Juan de Albuquerque. Ele explicou que tinha sido enviado pelo Papa e Rei de Portugal para trabalhar pela salvação “dos incrédulos”. Ele foi vítima de uma crença de que os não-evangelizados ( “gentios”) pereceriam incondicionalmente. Ele lhe mostrou as cartas credenciais papais como um Núncio Apostólico. Método Apostolico: Depois de sua chegada a Goa, Francisco escreveu com entusiasmo a Roma: “Depois de quatro meses ou mais (da viagem de Moçambique), chegamos a Índia, Goa (quero dizer), uma cidade inteiramente de cristãos, cosa para ver, (Epistulae XavierII, I, 124, n.5), uma coisa mais notável – uma coisa para ser visto “. “Ele tem um mosteiro com muitos frades de São Francisco, uma muito boa catedral bem como muitos cânones e muitas outras igrejas. Há razão para dar muitas graças a Deus, nosso Senhor, vendo como o nome de Cristo está florescendo tão bem, em terras tao distantes e entre tantos infiéis “(EX, I, 121). O Governador Martim Afonso de Sousa pediu-lhe para residir em seu palácio, mas Francisco preferiu ficar no Hospital Real, onde dedicou-se aos doentes e leprosos do Hospital de Sao Lazaro. Ele se dedicou a pregação e catequese na igreja do Rosário. Penitentes vinham em grande numero para o Padre Francisco para a confissão na capela do hospital. Na antiga Catedral do Bispo, Francisco baptizou seu neófitos. Nos dias de semana, à tarde, Francisco visitava os prisioneiros da “Cadeia”, (situada em um lugar em frente à Catedral e o Palácio dos Vice-Reis), ensinou-lhes como se confessar, e depois ouvia normalmente a confissão geral.. A cidade é cosmopolita, com cerca de dois laques de habitantes. Havia pessoas de muitos países: Europa, África, Ceilão, Malásia e China. Muitos deles eram cristãos, a maioria mal instruída na fé e rasa na sua prática. Infelizmente o mportugueses em Goa tinham várias concubinas e escravos à sua disposição. Houve muita injustiça nos tribunais, a corrupção e usura. Francisco se mescolhava principalmente com os adultos portugueses, crianças indígenas e escravos. Francisco concebeu um novo método para atrair e instruir o povo. Ele subia e descia as ruas e praças com um sino na mão, chamando as crianças e adultos para a instrução. Começava por cantar as lições, que ele tinha rimado (em seu Catecismo, preparado por um seminarista do Colegio de Sao Paulo), e em seguida, fazia os filhos cantá-las, para que elas possam ser melhor memorizadas. Depois ele explicava cada ponto da forma mais simples, usando palavras simples e fáceis. Francisco trabalhou por um curto período de tempo em Goa, mas para sua glória devemos destacar o Colégio de São Paulo, onde o clero era formado. Havia já em 1556, cento e dez meninos, em catorze diferentes grupos nacionais de toda a Ásia e África, incluindo alguns meninos portugueses. Havia meninos de Malabar, Canara, Decao, Gujarate, Pegu e Bengala. Havia japoneses, chineses, , javaneses, Malaios (uma verdadeira multidão pentecostal). Ele estava preocupado em preparar o clero indígena de boa qualidade. Depois de cinco meses e dez dias de apostolado em Goa, Francisco foi pedido pelo governador Martim Afonso de Sousa (1542-1545) para partir Cabo Comorim (hoje Kanya Kumari). Nos fins de setembro de 1542, ele levou consigo Francisco Mancias e dois estudantes indígenas do Colégio de Sao Paulo e aterrou em Manappad em outubro de 1542, e depois foi para Tuticorin. Depois de passar um ano e três meses na Costa da Pescaria e voltando a Goa em 14 de janeiro de 1544, foi a pedido do Pe.Mestre Diego de Borba a residir no Colégio de Sao Paulo ( ‘Seminário de Santa Fé’ ). Em abril de 1545, ele partiu para Meliapur, onde escreveu o Catecismo em Tamil. Em 1548 foi nomeado Administrador do Colégio de Sao Paulo. Em 14 de abril de 1549, ele foi para o Japão. Ele voltou a Goa, para tratar de assuntos urgentes, em fevereiro de 1552. Ele foi para Malaca, em 15 de abril de 1552. Ele voltava de cerca de sete vezes a Goa, mas sempre em negócio e à pressa. Ele esteve no solo goes, ao tudo, um pouco mais de 18 meses.No tempo de São Francisco havia duas capelas, uma de Santo Antao e outra de Sao Jeronimo. O Santo costumava caminhar entre elas na meditação e êxtase. Em uma dessas ocasiões, segundo uma lenda,, ele foi ouvido, dizendo, ao contemplar o Senhor consolá-lo: “satis, Domine” ( “Chega, Senhor, e suficiente”). Ele morreu na ilha de Sangchwan (Sanchao), as portas da China, depois que ele adoeceu desde 21 de novembro de 1552, com febre alta. Ele teria desejado que seus ossos fossem levados para Goa, que foi o trampolim da sua actividade missionária. Apesar de quatro sacos de cal utilizados a fim de acelerar a decomposição, foi encontrado após dois meses e meio, em 17 de fevereiro de 1553, que o sangue ainda ia vasando. Em 14 de março de 1554, seu caixão foi trazido, através do rio Mandovi, à Igreja de Nossa Senhora da Ajuda, e no dia seguinte o corpo de Francisco foi levado para a Igreja do Colégio de Sao Paulo. Depois da canonização do Padre-Mestre Francisco, em 1622, seu corpo foi levado para a Igreja (elevada à categoria de Basílica em 1946) do Bom Jesus. Gregório XV canonizou-o em 12 de março de 1622. Sua missão: Francisco Xavier é venerado como um santo em todo o Oriente. Porque é ele tão venerado e honrado? Certamente por causa de sua generosidade em se sacrificar pelo povo durante o curto período de sua vida de quarenta e seis anos, sete meses e vinte e seis dias, dos quais ele passou dez anos e sete meses menos quatro dias na Ásia. Ele trabalhou para a educação e elevação dos pobres e oprimidos do Oriente, da Índia ao Japão. Foi em Malaca que Francisco veio a saber acerca do Japão, como ele próprio afirma: “Quando eu estava na cidade de Malaca, alguns comerciantes portuguese de alto nível me trouxeram uma grande notícia de algumas ilhas muito grandes, descobertas recentemente no Oriente, chamadas ilhas do Japão. Na opinião desses homens, haveria melhores oportunidades para o aumento da nossa santa fé lá do que em qualquer lugar na Índia, porque as pessoas têm ansia para o conhecimento e instrução, que não é o caso dos índios ” (Epistulae XavierII, I.391-392, citado em P. Rayanna, A Vida de São Francisco Xavier, p.116). Ele podia ver a diferença entre os índios e os japoneses. Ele encontrou nos índios, especialmente nos “brâmanes”, astúcia, explorando as pessoas pobres, ao passo que os japoneses eram simples e mais ágeis (cf. As Cartas e Instrução de São Francisco Xavier, trans.by M. Joseph Costelloe, Sj, p.69 , em uma carta escrita para companheiros que vivem em Roma a partir de Cochim, em 15 de janeiro de 1544; G. Schurhammer, Francisco Xavier. His Life, His Times, II, 406-410; Monumenta missionum Societatis Jesu, Epistulae St.Francisci XavierII, Aliaque eius Scripta, I, 160-167). Pio XI declarou-o em 1927, o Patrono dos missionários do mundo. Sua ‘relíquias sagradas “são mantidas em um cofre de prata em um mausoléu de mármore esculpido artisticamente na Basílica do Bom Jesus. São Francisco Xavier é o símbolo da unidade entre os povos. Há alguns equívocos sobre o Sao Francisco Xavier que contribuiu imensamente para a evangelização de Goa com a inauguraçao da Sociedade dos Jesuítas e trazendo-nos o seu zelo missionário. Mas não se pode dizer que ele foi o primeiro a trazer a fé a nossa terra, como o hino Dev Amkam Zai reza: “Bhavart amcho nhoi aicho kalcho, / Ponn Sam Fransisk Xavieracho”. Temos até aqui conhecidos e desconhecidos arautos da fé. Francisco não teve nenhum dom especial de línguas, mas ele trabalhou arduamente para aprender concani e tâmil. Conclusão: Francisco Xavier foi totalmente dedicado ao seu trabalho, determinado e firme em suas convicções. Ele aproveitou- da sua mente bem afiada, a sua ambição e a sua capacidade de organização para a edificação do Reino de Deus. Pessoas de diferentes credos, raças, culturas, ricos e pobres, jovens e velhos, se reúnem por ocasião da sua novena e festa e viver como uma família. Que possamos crescer no Espírito através do seu exemplo, como uma comunidade de amor!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: